terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

desejar. morrer a pouco e pouco,
ausência do muito.
um rosto cavado,
a plenitude de um olhar grisalho,
e a morte no aquiescimento do nada.

Sem comentários:

Enviar um comentário